Uma barreira à nossa frente, sem caminhos por terra. Se você quer saber como foi nossa experiência de cruzar a fronteira entre a Colômbia e o Panamá com o menor custo possível, não deixe de ler!

Quem anda pensando em fazer uma expedição pelas Américas já deve ter lido ouvido falar do Tapón de Darién ou Estreito de Darién, entre Colômbia e Panamá. Nessa região a rodovia Panamericana é interrompida por uma área de selva, rios e pântanos, único ponto onde é impossível cruzar de maneira convencional com um carro da América do Sul a América Central.

Alguns intrépidos aventureiros já andaram desbravando esse trecho abrindo caminho na selva e não há nada de concreto quanto a construção de uma estrada, o que facilitaria muito a vida dos overlanders.

Resta a opção contornar esse trecho e embarcar o carro para uma travessia marítima, sendo que a principal delas é entre Cartagena e Colón, no Panamá. Até 2015 era possível essa travessia em um navio no qual viajavam o carro e seus passageiros a um custo mais acessível, entretanto atualmente só é possível enviar o carro em navios cargueiros e os passageiros seguem em avião ou veleiro até o Panamá.

Esse é sem dúvida um dos maiores custos de toda a viagem e um dos desafios para quem quer ir da América do sul para a América Central ou Norte com um carro. Uma das maneiras de fazê-lo com menor custo possível é compartilhar um contêiner com outros viajantes, que foi o nosso caso. Contratamos um contêiner de 40 pés e cruzamos com 2 carros e 2 motos e fizemos todo o processo por conta própria.

Nosso grupo foi composto por nós, André e Ane com um Land Rover Defender 110, os alemães Wolfgang e Nina com um VW T3 Syncro, Roque, brasileiro de SP com uma Honda CG 150 e Will, guatemalteco com sua Bajaj Boxer 150

Gastamos o total de U$ 2.056, sendo U$ 720 por carro e U$ 308 por moto.

Contêineres a espera de carregamento 

 

Abaixo damos dicas importantes e contamos como foi nossa experiência:

– BUSCAR COMPANHIA PARA COMPARTILHAR O CONTEINER

Publicar com alguns meses de antecedência sua previsão de travessia em grupos de whatsapp e facebook de overlanders. Não se preocupe, depois que começa a expedição sempre rola de participar de algum grupo de whatsapp após conhecer outros viajantes. No facebook, busque o grupo PanAmerican Travelers Association.

Caso não consiga encontrar ninguém para os dias que pretende cruzar, outra possibilidade é solicitar à empresa transportadora que te ajude a encontrar alguma parceria. Caso não consiga ninguém para compartilhar, a última opção é chegar em Cartagena e ir até o “Laguito de Bocagrande” ou “Hotel Bellavista”, os lugares mais utilizados por overlanders na cidade.

Conseguimos gente interessada via whatsapp e logo montamos um grupo nesse aplicativo para ficarmos em contato.

Laguito, ponto de encontro de overlanders

Compartilhar contêiner. Novos amigos e boas estórias…

– SOLICITAR ORÇAMENTOS

Solicitar orçamento a empresas que prestam o serviço de travessia. Normalmente o primeiro contato é via e-mail. Mencione a data estimada, a medida dos carros e moto – altura, largura, comprimento e o peso estimado.

As formas mais utilizadas para o transporte são o contêiner de 20 ou 40 pés ou a modalidade conhecida como “RO RO”:

– RO-RO – abreviatura de Roll On – Roll Off, nessa modalidade o veículo embarca e desembarca andando no navio, portanto nesse caso os gastos não são compartilhados. As chaves ficam em poder da empresa transportadora, que se encarrega de toda a movimentação, entretanto não se responsabiliza por pertences deixados no carro, uma vez que é necessário assinar uma declaração de que o veículo viaja vazio. O que pode ser feito para diminuir os riscos é reservar um espaço e trancá-los dentro do carro, opção mais usada por motor homes.

– CONTÊINER – Existem de várias medidas, sendo que os mais usados são os de 20 e 40 pés, fechados ou abertos, chamados de flatrack (apenas plataformas sem as “paredes laterais” e “tetos”), normalmente usados por veículos de médio ou grande porte. Para entender qual atende melhor a sua necessidade e as possibilidades de compartilhamento com outros carros, veja as medidas disponíveis:

Obs:. Medidas em metros

 

 

De antemão, faça uma estimativa de qual contêiner atende melhor a sua necessidade considerando que deve deixar um espaço de 30 a 40 cm entre os carros, motos e as extremidades do contêiner, assim dá para ter uma ideia de quanto sobra e você poderá procurar uma ou duas motos e diminuir ainda mais o custo.

Empresas que contatamos:

Seaboard Marine – https://www.seaboardmarine.com/colombia/

Bairro Bosque, Avenida Pedro Velez No 48-14 Cartagena

natalia.sarabia@seaboardcolombia.com.co | Tel. +57 567 22341

Obs. Opera no Porto Compas

 

Enlace Caribe – https://www.enlacecaribe.com

gerencia@enlacecaribe.com | Tel. +57 315 758 5872

Edificio Laguna 46 Centro de Negocios El Cabrero

Avenida del Lago Marbella

Carrera 3 No. 46-51 Oficina 1201

Obs. Opera na Sociedade Portuária e o transporte é feito pela naviera Evergreen

 

– COMPARAR AS OPÇÕES

Compare os detalhes de cada orçamento e se tiver dúvidas, solicite esclarecimentos. Normalmente esses orçamentos apresentam termos técnicos e para não ter surpresas é melhor perguntar. De todas as pesquisas que fizemos e orçamentos que vimos, nos demos conta que os valores são próximos, então o que permitiu diminuir os custos no nosso caso foi ter encontrado mais um carro e duas motos para compartilhar o contêiner e fazer todo o processo por conta própria.

O orçamento que as empresas enviam corresponde apenas ao frete, carregamento em Cartagena e descarregamento (vaciado) no Panamá. Somadas a outras despesas (movimentação no porto, taxas, fumigação, cópias de documentos, etc., a estimativa inicial é de U$ 2.000 a 2.300 para um contêiner de 40 pés (fechado).

Nesse valor não está incluído o custo de agente aduaneiro para realização do processo, caso seja a sua opção (a partir de U$ 200 por veículo, embora seja negociável), nem gastos de hospedagem e alimentação e voo ao Panamá, etc.

O primeiro orçamento que nos enviaram em outubro/17 para um contêiner de 40 pés foi de U$ 1.400 (frete, carregamento e descarregamento (vaciado) no Panamá. Como nossa travessia ocorreu somente em dezembro/17, quando confirmamos o início do processo, nos enviaram novo orçamento de U$ 1.450.

Assim que nosso grupo se formou (2 carros e 2 motos), acordamos que todas as despesas seriam rateadas em 35% por carro e 15% por moto.

Veja os detalhes de quanto custou nossa travessia no final deste post.

 

– INÍCIO DO PROCESSO

Uma vez decidido com qual empresa fazer a travessia, comece o processo solicitando que te informem as providências a serem adotadas. Se você optar por fazer todo o processo por conta própria, prepare-se pois requer um pouco de paciência e no final verá que não é tão difícil. Contratar um agente aduaneiro é uma opção.  Decidimos fazer por conta própria e não nos arrependemos pois a única vantagem que vimos de fazer com um agente é que esse profissional já tem a prática e encurta um pouco o processo, entretanto em boa parte você precisa estar presente e o acompanhando. No Panamá por exemplo, você terá que fazer o desembaraço praticamente sozinho.

 

– QUANTO TEMPO LEVA PARA FAZER O TRÂMITE

Reserve de dois a três dias exclusivos em Cartagena e dois no Panamá, isso considerando que você leu o passo a passo abaixo e já fez os procedimentos possíveis via e-mail e telefone (orçamentos, companhia para compartilhar o contêiner).  Se houver algum imprevisto, esse tempo pode aumentar, então considerando que os navios costumam partir de Cartagena no sábado e que o contêiner é carregado na sexta, o trâmite deve ser feito no mais tardar a partir de terça-feira, entretanto recomendamos iniciar na segunda-feira.

Importante lembrar que quando compartilhamos o contêiner aumenta o risco de contratempos em comparação se você não fosse compartilhar com ninguém, portanto, há que coordenar que os proprietários estejam presentes. No nosso caso foram 4 veículos (2 carros e 2 motos), então foi importante ter começado o trâmite na segunda-feira.

 

– EMPRESA QUE ESCOLHEMOS

Optamos pela Seaboard, que foi a que mais nos inspirou confiança no primeiro atendimento. Num dos e-mails eles nos enviaram um passo a passo elaborado por um de seus clientes, o Diego do Cresciendo en el Camino, o que nos serviu como guia para todo o processo e nos facilitou bastante. Alguns procedimentos tiveram pequenas alterações mas fizemos todo o processo com mais segurança. Valeu Diego!

Segundo o Diego, sua escolha pela Seaboard ocorreu por alguns motivos:

– possibilidade de pagar o frete no Panamá, em dólares. Caso tivesse que pagar em pesos colombianos, sairia mais caro devido a necessidade de trocar de moeda (o câmbio nunca é favorável)

– a empresa trabalha no porto Compas, que embora cobre os mesmos valores que a Sociedade Portuária, nesse último exige mais trâmites e autorizações que o Compas, além de obrigar a contratação de seguro de vida que custa U$ 22 por dia

– os contêineres da empresa ficam dentro do porto. Caso fosse diferente seria necessário um gasto extra para movimentá-lo de onde está para dentro do porto.

Com base nesse material elaboramos também o nosso passo a passo  de acordo com a experiência que tivemos, lembrando que alguns procedimentos podem vir a ser suprimidos ou agregados. Não se assuste com número de itens mencionados. Leia com atenção e no final das contas verá que é menos complicado do que parece.

 

ENTENDA QUEM É QUEM

Naviera – empresa que prestará o serviço de transporte (aluguel do contêiner, frete e emissão de boa parte dos papéis)

Porto – encarregado de fazer a movimentação do carro dentro de suas dependências (carregamento dos carros dentro do contêiner, carregamento deste até o navio e descarregamento no porto de destino)

Polícia Antinarcóticos – responsável por receber a comunicação da exportação temporária e a movimentação dentro do porto, além da inspeção presencial nos carros e motos

Autoridade aduaneira (DIAN, no caso da Colômbia) – responsável pela autorização para exportação do carro e inspeção física no veículo.

Porto em Cartagena

Área portuária de Manzanillo em Colón, Panamá

 

Basicamente todo o processo é realizado nesses quatro locais. Os três primeiros estão localizados bem próximos uns dos outros; o último fica a 10 minutos em táxi.

Em Colón os locais de trâmite se concentram no Porto de Manzanillo mas também é necessário usar táxi (a autoridade aduaneira fica a cerca de 3km do porto).

Veja os locais no mapa. Use o menu à esquerda para ver o local, foto e a descrição dos procedimentos que fizemos lá. Pode usar o zoom para melhor visualização.

 

Logo que tenha aprovado o orçamento, tente marcar uma reunião com representante da Seaboard para entregar os documentos preliminares e tirar dúvidas. No nosso caso a Natalia nos respondeu mas não agendou nenhuma reunião. Apenas pediu para adiantarmos alguns documentos por e-mail em vez de entregar cópias e informou o calendário das próximas partidas dos navios. Praticamente 80% da tramitação acabou ocorrendo por e-mail e não tivemos que enviar cópias impressas a Seaboard.

Nas oportunidades que precisamos ir pessoalmente à Seaboard, fomos atendidos sem agendamento por outros funcionários. Para ir até lá, entre pelo acesso principal do porto Compas. Darão um crachá para passar pelas catracas eletrônicas mediante a custódia de um documento.

Quer saber como foi o passo a passo da nossa travessia? Abaixo contamos essa etapa!

COMO FOI A NOSSA TRAVESSIA EM FOTOS

Este slideshow necessita de JavaScript.

TRAVESSIA ENTRE A COLÔMBIA E O PANAMÁ – PASSO A PASSO

Passo a passo que utilizamos para enviar nosso carro de Cartagena a Colón

Seaboard Marine – https://www.seaboardmarine.com/colombia/

Bairro Bosque, Avenida Pedro Velez No 48-14 Cartagena

Contato: Natália Tel. +575 6722341 |natalia.sarabia@seaboardcolombia.com.co

Obs.:

– Os formulários citados no passo a passo estão disponíveis para download. Basta clicar no nome para baixá-lo. Se preferir baixar todos de uma vez, clique aqui.

– O mapa com os locais de onde tramitamos o processo encontram-se em

 

1 – Enviar e-mail a Seaboard

– comunicar a aprovação do orçamento e solicitar o calendário das próximas partidas dos navios

 

2 – Tirar 3 cópias dos documentos abaixo e digitalizá-los

– Passaporte (página de identificação e a do carimbo de entrada na Colômbia)

– Documento do carro (se a compra do carro foi registrada em cartório, tirar cópia também)

– Documento de Importação Temporária da DIAN e prorrogações, se houver

Obs. as cópias serão utilizadas nos passos 6, 7 e 17.

 

3 – Enviar documentos por e-mail a Seaboard

Após a aprovação do orçamento, a Seaboard informou por e-mail o calendário das próximas partidas, o prazo para entrega dos carros no porto Compas e a previsão da chegada ao Panamá

– informar a data pretendida para envio do carro

– enviar os documentos citados no passo 2 de todos os veículos e proprietários

– enviar o formulário Formato Información Tributária de no Residentes en Colombia”, preenchida em nome de quem será o responsável pelo processo (o proprietário de um dos veículos). Imprima o arquivo e preencha-o à mão. Fotografe e anexe ao e-mail. Esse formulário serve para eles fazerem um cadastro, gerar um número de cliente e a reserva do contêiner (Booking). Guarde esse número.

 

4 – Enviar documentos por e-mail a Seaboard

A Seaboard confirma o recebimento do e-mail anterior, envia o arquivo de booking, onde consta o número de cliente, nº do booking e do contêiner, entre outros dados. Confira se está tudo ok. Perguntam ainda se o pagamento do frete será feito na Colômbia ou no Panamá. Se optar por pagar na Colômbia, há um acréscimo de 0,07% de taxa sobre o valor final do BL (Bill of Landing), sendo o mínimo de U$ 50, além de que o câmbio não é favorável. Assim optamos por pagar no Panamá.

Solicitarão também para enviar os seguintes formulários preenchidos:

BL ou Bill of Landing (apenas um para todos os carros) Preencher com atenção pois se houver alguma divergência pode ter problemas na sequência do trâmite. Veja um modelo preenchido). No passo 16 te entregarão o BL impresso em formulário da Seaboard.

Requisitos Carga no Peligrosa (um formulário para todos os carros).

Obs. Nessa declaração consta que os tanques de combustível (líquido ou gasoso) se encontram vazios. No nosso caso assinalamos a primeira quadrícula (carro movido a combustível líquido), assinamos, datamos e respondemos o mesmo e-mail. Se tiver muito combustível no tanque ou botijão de gás por exemplo, declare como carga perigosa. Se soubéssemos que declarar como carga perigosa não altera o valor do frete, teríamos abastecido na Colômbia pois no Panamá costuma ser um pouco mais caro.

No e-mail resposta, além de enviar os formulários, informe que o pagamento será feito no Panamá e peça o número da conta para o depósito.

– Imprima duas vias do booking recebido da Seaboard pois será necessário para os próximos passos.

 

5 – Pagar a movimentação do contêiner dentro do porto e o serviço de carregamento (servicio de llenado) e pedir autorização para entrar no porto

A partir desse passo recomendamos que todos os proprietários estejam presentes no trâmite, uma vez que se requer assinatura em documentos, pagamentos, etc.

– Vá ao Compas, no Centro de Documentos/Faturación. Informe quantos carros serão movimentados, preencha o formulário que eles darão e junte uma cópia do passaporte, uma cópia da importação temporária da DIAN (uma cópia de cada proprietário e carro) e uma cópia do Booking (reserva do contêiner). Pague no Bancolombia que fica no mesmo salão e apresente o comprovante à pessoa que emitiu as faturas. Vão te entregar o “Documento para retiro o ingreso de mercancias” em 3 vias. Esse é o documento a ser apresentado no dia da entrega dos carros.

Custo total para os 2 carros e 2 motos: U$  240

– No guichê ao lado do faturamento solicite o formulário de autorização para entrar com os veículos no porto (um para cada carro). Confirme com a atendente o dia da entrega dos veículos e se deverá chamar alguém por telefone para autorizar a entrada. No nosso caso apenas apresentamos a documentação emitida pelo faturamento e ingressamos com os carros no porto.

Obs. No dia marcado, esteja na entrada do porto com os carros às 7h.

 

6 – Protocolar documento na Polícia Antinarcóticos

– Preencher o formulário Carta de Responsabilidad (uma por proprietário, em duas vias). Não aceitam manuscrita. A duas quadras tem uma lan house para resolver isso (ver no mapa).

– Junte as cópias citadas no passo 2 (por proprietário/veículo)

– Protocole no guichê – fica ao lado do portão do Compas – informe o dia da entrega dos carros no porto e peça o agendamento. Nos disseram que estava ok mas ficamos um pouco inseguros pois tínhamos a informação de que se não houvesse o agendamento, no dia nos cobrariam U$ 150. Mais tarde voltamos lá e confirmamos que estava agendado. No dia da entrega os policiais compareceram sem necessidade de chamá-los (dentro da área do porto tem dois escritórios onde eles ficam de plantão).

Obs. Guarde a via protocolada para ser apresentada no dia da inspeção.

 

7 – Solicitar a exportação dos carros na DIAN

– No setor de exportações, procurar pela senhora Marivel ou quem estiver atendendo, informar que vai fazer a exportação do carro. Vão fornecer um formulário de “Reexportação” (2 vias) por carro. Preenchê-los e em uma das vias, juntar cópia dos documentos citados no passo 2.

– Ir até o setor de protocolo que fica logo da entrada do mesmo edifício para “radicar” (protocolar) os documentos.

– Com essa cópia protocolada, volte ao setor de exportações e informe o dia e horário que farão a entrega dos carros no porto e peça que agendem a visita de um inspetor. Importante: peça também o nome e o celular do inspetor que estará de plantão no dia.

Aqui finaliza o trâmite prévio à entrega dos carros no porto. 

 

8 – Definir viagem ao Panamá

Como já sabe a data prevista de chegada do carro ao Panamá, definir como você fará a travessia. Tenha em conta que a partir da data da chegada do navio em Colón, você terá de retirá-lo no máximo em 7 dias. Após esse prazo terá que pagar diárias ao porto.

Há opção de ir em veleiro (entre U$ 450 a 650 por pessoa, dura 5 dias) – vide www.bluesailing.net – ou em avião. Nós fomos em avião pela Wingo, custou U$ 170 por pessoa (apenas ida de Cartagena a Cidade do Panamá, com taxas). Se a opção for pelo aéreo, reserve logo que terminar o passo anterior para conseguir um preço melhor.

Obs. Para entrada no Panamá exigem a reserva de passagem aérea de saída do país. Por mais que explique sobre a carro, que está vindo de navio, pode ser que a falta desse comprovante seja um problema. A solução é fazer uma reserva de passagem aérea de saída. No dia que saímos de Cartagena, entramos no site www.spirit.com/ e fizemos uma reserva de voo da Cidade do Panamá para Miami com data de um mês posterior à nossa chegada ao Panamá. Essa reserva pode ser cancelada sem nenhum custo, desde que feita no máximo em 24 horas após a compra (não esquecer de fazer isso logo que chegue ao Panamá).

Outra exigência é comprovar a posse de U$ 500 por pessoa ou cartão de crédito com comprovação dessa disponibilidade – podem pedir para que você faça o saque no ATM do aeroporto. Pedem também a apresentação da Carteira de Vacinação contra febre amarela.

Como foi na prática? em Cartagena nos pediram apenas o comprovante da passagem aérea de saída do Panamá e na Cidade do Panamá nos pediram apenas a Carteira de Vacinação.

– Imprima a reserva das passagens aéreas (ida e saída).

– Aproveite e imprima também a Solicitação dos equipamentos de segurança que será usada no passo 10.

 

9 – Programar hospedagem

Definir onde se hospedar enquanto estiver sem o carro, lembrando que os custos em Cartagena são bem menores que no Panamá. Nós já conhecíamos um hostel em Cartagena e gastamos U$ 12 por dia para duas pessoas. Já em Cidade do Panamá pagamos U$ 22 para duas pessoas.

 

10 – Entregar os carros no porto

– Se possível esvazie os armários com antecedência e ponha as miudezas em caixas de papelão ou sacolas plásticos, isso facilitará bastante na hora da inspeção

– Chegue até as 7h e já apresente no portão de acesso ao porto o “Documento para retiro o ingreso de mercancias” recebido no passo 5. Fica bem ao lado da Polícia Antinarcóticos. Fomos muito bem recepcionados por um funcionário de jaleco e capacete e logo nos encaixaram na fila de caminhões. Não se esqueça, nesse dia tem que estar de calça comprida e sapatos fechados e apenas os condutores podem entrar.

– Enquanto isso um de nós foi até o escritório da Seaboard e apresentou a Solicitação dos equipamentos de segurança (jaleco e capacete). Na mesma solicitação já pedimos as trincas, que são aquelas fitas de nylon com catraca que servem para amarrar os carros dentro do contêiner. Liberaram imediatamente os capacetes e jalecos e enviaram as trincas para um lugar próximo onde estava nosso contêiner (4 por carro e 2 por moto).

– Dirigir-se a Polícia Antinarcóticos e apresentar a Carta de Responsabilidade protocolada no passo 6. Confirme que estão ingressando ao porto, assim eles já comunicam os policiais que fazem a inspeção. Vão devolver esse documento que será novamente carimbado nesse momento ou após a inspeção.

– Logo que chegou nossa vez na fila, passamos pela pesagem dos carros, grampearam um tíquete com autorização para entrada onde constou o peso bruto e o número do booking, carimbaram o “Documento para retiro o ingreso de mercancias” e nos direcionaram para onde estava nosso contêiner.

 

11 – Inspeção pela DIAN

Logo que chegamos ao local indicado um funcionário do porto nos mostrou nosso contêiner. Esperamos um pouco, como a inspetora da DIAN não vinha, a chamamos por celular. Uns 20 minutos depois ela apareceu, conferiu a numeração de chassi dos 4 veículos e levou a nossa via de pedido de Reexportação, a que recebemos no passo 7. Ela marcou de passarmos na DIAN a partir das 10h para que ela nos devolvesse o documento, juntamente com outro que ela teria que preencher no computador, chamado “Ata de Diligência”.

 

12 – Inspeção Antinarcóticos

Logo após a inspeção da DIAN, um funcionário do porto disse que já podíamos tirar os pertences de dentro do carro para a inspeção pela polícia. Fazia um calorão e por sorte estacionamos num lugar com a sombra do galpão. Tiramos quase tudo e colocamos no chão. Antes que terminássemos essa atividade os policiais apareceram e o que ainda permanecia dentro do carro ficou por lá mesmo e houve a inspeção. Os policiais foram cordiais no trato pessoal mas quanto as coisas, esqueça, não são muito cuidadosos. Após a inspeção, carimbaram a Carta de Responsabilidad e a devolveram (uma de cada proprietário). A inspeção nos dois carros e motos durou cerca de 1 hora. Aí vem o trabalho de colocar tudo de novo no lugar. No fechamento do contêiner os mesmos policiais estarão presentes.

 

13 – Revisão do carro pelo pessoal do porto

Um funcionário do porto faz o inventário de recibo do carro onde são anotadas as condições de entrega – riscos, danos na pintura, amassados, etc. Confira e assine o documento. Deixarão uma via rosa com você.

 

14 – Amarração dos carros e fechamento do contêiner

Tivemos que buscar as trincas que foram deixadas a uns 200m de onde estávamos. Logo veio um funcionário que fez as amarrações a medida que íamos colocando os carros dentro do contêiner.

Os policiais acompanharam o fechamento do contêiner, trancado com cadeado e um cabo de aço com fecho inviolável. Logo os policiais colocam uma fita adesiva como comprovante da inspeção.

 

15 – Documentação de Carregamento

Logo que fecham o contêiner um funcionário do porto faz a emissão do documento “Acta de Vaciado y Llenado de Contenedores”, que é assinado por todos os proprietários. Nos entregaram uma via rosa desse documento, devidamente carimbado. Vão te pedir um e-mail para que enviem o peso total do contêiner. Caso esqueçam, pergunte dessa informação pois será necessária no passo 19. Pergunte o nome e o telefone da seção desse funcionário, para o caso de não receber o e-mail. Para nós chegou rápido.

 

16 – Escritório da Seaboard

Volte ao escritório da Seaboard para devolver os jalecos e capacetes. Solicite duas cópias do BL. Por segurança, confira os dados e se tiver dúvidas, aproveite para esclarecer.

Peça também para que informem os dados da Seaboard Panamá e quem você deverá procurar ao chegar. Isso é apenas para ter alguém de referência.

 

17 – Pagar pelo uso das instalações do porto

Voltar ao setor de Faturamento do Compas, apresentar a “Acta de Vaciado y Llenado de Contenedores” – a via rosa. Vão emitir a fatura pelo uso das instalações do porto e armazenamento. Pagar na agência do Bancolombia.

Custo total para os 2 carros e 2 motos: U$  321

– No guichê ao lado – seção “Radicados”, entregue as cópias do BL e uma cópia dos documentos citados no passo 2. Vão devolver uma via do BL com o protocolo.

 

18 – Apresentar o BL na Seaboard

Apresente a cópia do BL com o protocolo e pergunte se o trâmite até ali está ok. Isso porque ainda faltará o passo seguinte para finalizar o trâmite em Cartagena. Se eles retiverem essa via carimbada, peça que te deem uma cópia.

Volte a DIAN para retirar os documentos citados no passo 11 (setor de exportações).

 

19 – Preencher o VGM

Assim que receber o e-mail contendo o peso corrigido do contêiner, acesse o site www.seaboardmarine.com/vgmcertification e preencha o formulário. É bem simples. Para melhor entendimento, veja este tutorial da Seaboard.

– Envie e-mail ao contato da Seaboard comunicando do preenchimento do VGM e peça a confirmação se está tudo ok para o embarque do contêiner.

Logo que receber essa confirmação está concluído o processo em Cartagena!!

 

20 – Chegando ao Panamá

Os voos da Wingo chegam a um aeroporto menor que o principal e fica a cerca de 18km do centro. O táxi até o centro nos cobrou U$ 30 pela corrida. O Diego havia dado a dica para usar o Uber que lhe custou apenas U$ 5. Nos esquecemos desse detalhe e pagamos mais caro.

– Cancele o voo de saída do Panamá

– Faça o depósito na conta da Seaboard Panamá conforme citado no passo 4 (somente em dinheiro). No nosso caso o valor foi de U$ 1.450, na conta 0550271036 do Citibank em favor de Sea Cargo S.A.

 

21 – Fazer o Seguro dos veículos

Para circular no Panamá é exigido um seguro de danos a terceiros. Contratamos por U$ 25 / mês pela FEDPA, localizada na Calle 50, entre la Calle 47 Este y Av. Federico Boyd. Para a contratação tivemos que apresentar os originais do documento dos veículos, passaportes e o documento de exportação da DIAN recebido no passo 11 (Reexportação e ata de diligência).

 

22 – Programar a retirada dos carros

Logo que o navio chegar em Colón (Porto Manzanillo) e começar o descarregamento, vão enviar um e-mail avisando. Caso não receba nenhum aviso, na véspera da data prevista no calendário citado no passo 3, envie um e-mail à pessoa indicada no passo 16. Logo que derem a confirmação do descarregamento do contêiner, responda o e-mail avisando que no dia seguinte vão retirar o veículo, para que façam o “desestibado” e deixem o contêiner pronto para retirada dos carros. Peça ainda que eles confirmem por e-mail quanto a sua solicitação.

Prepare 3 cópias dos documentos abaixo. Faça em Cidade do Panamá pois na área do porto em Colón não tem lugar para isso. As cópias serão usadas nos passos 26 e 30. Sobrará uma cópia para algum caso imprevisto.

– Passaporte (página de identificação e a do carimbo de entrada no Panamá)

– Documento do carro (se a compra do carro foi registrada em cartório, tirar cópia também)

– Apólice de seguro

– Faça o download do arquivo Carta solicitando permissão de entrada de controle veicular no Panamá e preencha-o. Se preferir pode fazê-lo à mão conforme redação abaixo.

Licenciada

Griselda Gonzalez

Administradora regional de aduanas, zona norte.

 

Yo, …………………………………………………………, con número de pasaporte ………………………….., de nacionalidad ………………………………, le pido me conceda un permiso de Entrada de Control Vehicular para transitar por el territorio panameño en calidad de turista por 90 días.

 

Las generalidades del vehículo son:

Marca ………………………………

Modelo …………………………..

Tipo …………………………………

Chasis ………………………………

Placa ……………………………….

 

23 – Viagem a Colón

Uma vez recebida a confirmação que o contêiner estará a disposição para retirada dos carros, eis que chega o grande dia. Para ir da Cidade do Panamá a Colón, vá de táxi até o terminal Albrook e lá tome um ônibus entre 6 e 6:30 para chegar no porto logo que estejam começando o expediente. A viagem dura cerca de 1’15” e custa U$ 3,50 por pessoa.

Peça para descer em Puente 4 Altos onde tem o trevo que desvia para o porto Manzanillo. Ali tomamos um táxi até o escritório da Seaboard por U$ 5.

 

24 – Entregar documentos na Seaboard Panamá

O proprietário responsável pelo BL deverá apresentar seu passaporte e o comprovante de pagamento do frete. Vão entregar o BL de saída e um recibo de pagamento. Peça a gentileza que forneçam o número de cópias desse BL quanto forem os carros e motos (no nosso caso 4 cópias). Essas cópias serão usadas no passo 26.

Obs.: aqui tivemos um contratempo pois a Seaboard Panamá queria nos cobrar U$ 1.100 para fazer a desestiva e o descarregamento (vaciado). Argumentamos que esse serviço estava incluído no valor que pagamos mas disseram que não. Após muitas idas e vindas, acabamos encontrando uma opção mais econômica, mesmo inconformados com essa surpresa. Contratamos um caminhão (mula, como dizem) para retirar o contêiner do porto e uma grua para baixar os carros de dentro do contêiner que estava sobre o caminhão.

A diferença é que essa empresa de caminhões, de posse de nossos documentos, faz o trâmite final para retirada do contêiner de dentro da área do porto e a abertura e retirada dos veículos ocorre em outro local. No nosso caso foi no próprio espaço da empresa. Esse serviço custou ao todo U$ 340 (190 do caminhão e 150 da grua).

Posteriormente entramos em contato com a Seaboard na Colômbia e confirmaram que o serviço estava incluído e se comprometeram a devolver o valor de U$ 400, correspondente a desestiva e descarregamento. Recomendamos assegurar-se desse detalhe na fase do orçamento, de que esse item esteja incluído nas condições gerais. Se atentássemos para isso teríamos evitado esse inconveniente.

A devolução está em andamento na edição desse passo a passo e em breve será atualizada a situação.

 

25 – Ir até o guarita de Ro – Ro

O local fica a 15’ de caminhada a partir do escritório da Seaboard. Apresente o BL de saída e entregue as chaves dos carros e motos para que os retirem do contêiner e fique a disposição no pátio.

Obs. Considerando o contratempo que citamos no passo anterior, não pudemos fazer esse procedimento pois a Seaboard Panamá não deu o aval para o pessoal do porto fazer a desestiva e descarregamento.

 

26 – Aduana de FIELD

Vá em táxi pois fica a cerca de 3km da guarita de RO-RO. Nos cobraram U$ 3. Logo após entrar pelo portão, procure o primeiro escritório que fica no lado direito para fazer a importação temporária dos veículos. Entregue a documentação:

– documentos citados no passo 22, incluindo a Carta solicitando permissão de entrada de controle veicular no Panamá

– BL de saída, entregue pela Seaboard Panamá no passo 24.

Vão entregar a permissão de circulação do Panamá em duas vias. Não há custo.

 

27 – Porto Manzanillo

Volte em táxi até o porto – mesmo caminho a Seaboard – desça um pouco antes, na guarita. Ao lado esquerdo ficam várias janelinhas onde você terá que pedir que carimbem a via original do BL de saída. Busque os seguintes setores (não precisa ser na mesma ordem):

– Cuarentena

– Aduana

– Supercont

– Almacenaje. Informe que os veículos serão retirados como RO-RO (sairão rodando do porto, com tramitação de desestiva e descarregamento (vaciado) feitas pela Seaboard e o pessoal do porto.

 

28 – Escritório da Seaboard Panamá

Caminhe até lá e peça que façam 2 cópias do BL de saída com todos os carimbos

 

29 – Guarita RO-RO

No local onde você entregou as chaves, entregue as duas cópias do BL de saída. Vão emitir as faturas de fumigação, valet parking e seguro, que pode pagar aí mesmo. A estimativa para dois carros é de U$ 180.

 

30 – Aduana (módulo dentro da guarita RO-RO)

Entregue as duas vias da permissão para circulação no Panamá recebidas no passo 26, juntamente com uma cópia dos documentos citados no passo 22. Vão fazer uma anotação, carimbar e devolver uma via que você deverá usar para circular e para sair do Panamá.

 

31 – Guarita RO-RO

No local onde entregou as chaves, comunique que já está com a documentação ok para a retirada dos veículos. Logo que o trouxerem, verifique o estado, se está nas mesmas condições de quanto o entregou em Cartagena. Estando ok, volte a guarita RO-RO, assine o documento de revisado e já estará liberado para rodar no Panamá.

 

Hora de comemorar o início de uma nova etapa da viagem!!


•  QUANTO CUSTOU •

 

 

Decidiu fazer tudo por conta própria? Então baixe o passo a passo da nossa travessia aqui

Veja também http://creciendoenelcamino.com/index.php/2017/06/19/cruce-colombia-panama-paso-paso-hacerlo-menor-costo-posible/