Está planejando uma viagem ao Alaska? Quer saber mais alguns detalhes sobre a nossa viagem? Então acompanhe as dicas a seguir

 

Dicas Gerais

– Mantimentos – aproveite para ressuprir o estoque de mantimentos no Walmart, disponível em Anchorage, Fairbanks, Kenai e Wasilla. Embora os preços sejam de 20 a 30% maiores que nos demais estados norte-americanos, ainda são melhores que nos demais mercados no Alaska.
Outra boa opção é o Costco, atacadista com bons preços e disponível em Fairbanks, Anchorage e Juneau. Lá também vendem pizzas grandes já assadas e hot-dogs a preços muito convenientes (comemos muito lá!). É necessário ter um cartão de associado (avaliar se vale a pena pois a anuidade é de U$ 60).

– Combustível – baixar o App GasBuddy, uma ótima ferramenta para encontrar os melhores preços de combustível nos EUA e Canadá. Em geral os preços no Alaska não variaram muito em relação à média dos demais estados norte-americanos. Pagamos em média U$ 2,90/galão (diesel), não considerando os dois abastecimentos que fizemos na Dalton Highway, de U$ 5,09/galão. Para os viajantes que forem até Prudhoe Bay é recomendado ter galões plásticos para levar combustível extra a partir de Fairbanks, não apenas por questão de economia mas de segurança, uma vez que as opções para abastecimento são escassas até o extremo norte.

– Mosquitos – tenha repelente de insetos que contém DEET. Usamos o da marca Repel 100 e funcionou. Os repelentes comuns vendidos em supermercado não são suficientes para afastar os grandes pernilongos e mosquitos do Alaska. Felizmente não tivemos esse problema no tempo que passamos lá mas conhecemos essas criaturas quando ainda estávamos no Canadá, próximo a Hyder.

– Camping – usamos o iOverlander, App já conhecido pela maioria dos viajantes de carro. Existem diversos pontos do Alaska indicados no aplicativo, mas algumas outras opções também podem ser consultadas nos mapas e guias obtidos nos centros de visitantes.

Alguns campings são mantidos pelo governo, limpos e organizados, sendo alguns pagos e outros gratuitos. Normalmente os campings pagos funcionam sem nenhum controle permanente. Os campistas retiram um envelope na entrada, colocam o dinheiro e depositam numa caixa fechada. Eventualmente aparece algum funcionário do governo para checar a situação no camping. Na maioria deles, inclusive nos gratuitos, existe lenha cortada para uso dos campistas. Atentar para as orientações e regras contidas na entrada dos campings. Outra opção são as BLM, áreas públicas do governo onde não há um camping oficial mas é permitido acampar. Algumas limitam o tempo de permanência, normalmente de 14 dias.

No nosso mapa interativo também estão marcados os pontos onde dormimos > > >

Wild Camping em Galbraith Lake
Clique na foto para abrir o mapa

 

Aurora Boreal

Um dos fenômenos naturais que mais nos impressionou na vida, foi a cereja do bolo em nossa viagem ao Alaska. Tivemos a oportunidade de contemplá-la por 9 noites alternadas, algumas no Alaska e outras já no Canadá. Sabíamos que a “temporada” começa por volta do dia 21 de agosto e vai até meados de abril, então duas semanas antes já estávamos monitorando a previsão em Apps e internet.

No restante do ano o fenômeno também ocorre, porém nas altas latitudes o céu não escurece a ponto de permitir o avistamento. Tínhamos a informação que a maior probabilidade de ocorrência é nas três ou quatro horas em torno da meia-noite, então sempre a partir das 21h já estávamos à espreita com nossa câmera e tripé preparados. Não maioria das vezes vimos a aurora boreal a partir das 22h, mas não isso não é uma regra. A duração, intensidade e cores podem variar bastante. Nas vezes que a vimos, às vezes apareceu sutilmente e foi aumentando, em outras apareceu intensa de uma vez. Em Galbraith Lake (Dalton Highway) foi o lugar onde a vimos por mais tempo, em todas as intensidades e cores. Começou quando ainda havia um pouco das luzes do pôr do sol no horizonte (às 23:30h!) e terminou três horas depois, já na escuridão da madrugada.

Existem vários Apps onde é possível acompanhar a previsão da aurora boreal. Sugerimos testar alguns para ver o que melhor atende. Nós usamos o Aurora Alerts – Northern Lights forecast” e funcionou bem. Outra fonte que recomendamos é o site da Universidade do Alaska, que além da previsão, tem muitas informações interessantes sobre o fenômeno. Veja em Aurora Forescast

O guia de visitantes da Dalton Highway também apresenta informações sobre o fenômeno.

aurora alerts - app

 

Wildlife

A fauna e flora do Alaska é muito rica e variada, porém é necessário pesquisar as melhores épocas e lugares para avistamento, caso você queira ver algo especificamente. No nosso caso deixamos a viagem acontecer de acordo com o tempo que havíamos previsto e não ficamos parados em lugares pontuais para esperar um animal aparecer, assim todos os que vimos foram ao acaso. Talvez fizéssemos um pouco diferente em uma nova viagem para lá.

Nossa expectativa era ver muitos ursos, águias americanas (bald eagles), caribus e alces. Não tivemos tanta sorte, mas o que vimos foi muito bacana e o que faltou serve para alimentar a vontade que temos de voltar lá. Queríamos ver urso pescando salmão nos rios e lagos. Nem um, nem outro. Todos os ursos que vimos foi no Canadá (Cassiar Hwy, Alaska Hwy e Dempster Hwy). Por outro lado, vimos muitos caribus, alces, moskox, aves migratórias, algumas cabras montanhesas (dall sheep), águias americanas e lontras.

Ursos – recomendações e cuidados, verificar o guia de visitantes da Dalton Highway e em vários guias distribuídos nos centros de visitantes para maiores detalhes.

Moskoxes vistos na Dalton Highway

 

Sol da meia-noite

Fenômeno natural muito interessante que acontece ao norte do Círculo Polar Ártico e ao sul do Círculo Polar Antártico, quando o sol fica visível nas 24 horas do dia durante o solstício de verão. Quanto mais próximo a um dos polos, maior o número de dias com o sol da meia-noite. Já no inverno o fenômeno é invertido, a chamada noite polar. O guia da Dalton Hwy cita lugares para observação do fenômeno. Não tivemos essa oportunidade, embora os dias em agosto estavam bem longos.

 

Lugares não visitados

Não pudemos fazer todos os passeios que queríamos, um pouco por questões financeiras, falta de tempo ou condições desfavoráveis, mas que recomendamos uma pesquisa.

Kennecott Mines – lugar histórico nacional com instalações de antiga mineradora
Wrangell Mountains – Saint Elias National Park
Katmai National Park and Preserve – belíssima paisagem e ursos pescando salmão. Traslado em pequenos aviões ou barco. Preço elevado.
Haines – opção alternativa para ver ursos pescando salmão no rio Chilkoot.
Skagway – cidade histórica e turística. Preserva bela arquitetura e oferece muitas opções de passeio. Há muitas opções de cruzeiros e excursões para lá. Outra possibilidade para visitar a cidade é o trem que oferece uma paisagem espetacular.
Juneau – capital do Alaska