Uruguai, um novo amor!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on Pinterest

Nossa passagem pelo país vizinho foi especial. Não bastasse a novidade da estreia fora do Brasil, nos surpreendemos com sua gente, cultura e belezas naturais.

Aqui cruzamos nossa primeira fronteira internacional! Ingressamos ao Uruguai pelo Chuí, demos uma rápida passada pelo Forte de San Miguel e seguimos ao Parque Nacional de Santa Teresa, onde acampamos. O parque tem opção de camping e cabanas e dá acesso a algumas praias. La Moza, a principal, tem uma paisagem linda com areia clara e mirantes para ver baleias. Ventava bastante quando estivemos lá.

Depois de desfrutar deste pequeno paraíso seguimos para o famoso povoado de Cabo Polônio que fica no Parque Nacional homônimo. Foi uma experiência diferente pois o acesso a este povoado é feito em caminhões 6×6, atravessando uma estrada de areia inacessível para carros de passeio. O povoado é bem pequeno e tem seu charme.  Visitamos as loberias, primeiro lugar onde vimos lobos marinhos esparramados sobre as rochas e alguns no mar. Interessante como sobem nas rochas, aproveitando a força das ondas e se arrastando pelas pedras. O lugar é preservado pela marinha e tem um belo farol à beira mar.  Almoçamos num dos pequenos restaurantes e ficamos observando o vai e vem dos turistas. Seguimos a Punta del Diablo, pequeno povoado de pescadores e casas de veraneio. Aí convivem várias tribos, desde hippies, mochileiros e turistas de todas as partes do mundo. A paisagem é bela e o mar e as dunas parecem abraçar as ruas do lugar.

De volta à estrada visitamos La Pedrera, balneário com vários mirantes para avistamento de baleias e belas praias. Numa das ruas vimos várias Land Rover Defender antigas, algumas deterioradas pelo tempo. Já viramos fãs desse modelo, então aproveitamos para tirar algumas fotos.

O trecho até La Paloma tem belas paisagens e um clima bucólico com estradas bem sinalizadas e margens arborizadas. Aí visitamos o Farol de Cabo Santa Maria e aproveitamos para fazer um lanche de frente para a praia.

A costa uruguaia é cheia de belos balneários e antes de visitar Punta del Este, um dos mais conhecidos, passamos rapidamente por Jose Ignacio, lugar badalado e com um belo farol. Seguimos a Punta del Este mas já estava tarde para procurar um lugar para pernoitar, então paramos na Praia de La Barra para ver a famosa ponte ondulada e acampamos na cidade ao lado, Maldonado, onde ficamos num dos melhores campings da viagem até então.

No dia seguinte visitamos o museu Casa Pueblo, uma linda construção em linhas arredondadas e brancas feita num penhasco do balneário Punta Ballena. Ali ficamos até o entardecer e assistimos a Cerimônia do Por do Sol, um misto de paisagem e poesia escrita pelo artista Carlos Perez Villaró. Esse é um dos passeios imperdíveis para quem vem a Punta del Este.

Esse balneário tem uma orla charmosa e bem cuidada, gente bonita por todos os lados, atrações diversas e vida noturna agitada, especialmente no verão. Visitamos a rambla – como chamam por aqui o calçadão à beira mar – o porto e o mercado de peixes. Vários lobos marinhos e gaivotas ficam no cais a espera de sobras das peixarias instaladas ali. Mais adiante paramos na escultura “Mano de Dios” e conhecemos o Felipe, brasileiro que trabalha e mora por aqui.

No caminho à capital uruguaia paramos em um Viveiro de Plantas pois um dos objetivos da nossa expedição é realizar um ato simbólico pela preservação ambiental com a plantação de uma árvore em cada país que visitarmos, então fomos comprar a nossa primeira mudinha. Tivemos uma experiência muito especial que contaremos em breve.

Pernoitamos em Atlântida, balneário onde curtimos um belo por do sol e em Piriápolis paramos para visitar uma amiga. Em Montevidéu fizemos uma breve passagem e visitamos o Mercado del Puerto.  Aproveitamos para provar um churrasco uruguaio assado na lenha. Valeu para provar mas churrasco assado no carvão continua sendo o nosso preferido. Conhecemos o Teatro Solís e percorremos a rambla com suas praias de água em tom marrom, resultado da mistura da água do Rio do Prata com o Oceano Atlântico.

De volta à estrada passamos em Carmelo, cidade tranquila e de clima agradável. Precisamos comprar algo para comer mas nos esquecemos que aqui a tradicional siesta é um costume, então foi difícil achar algo aberto naquele início de tarde.

Chegamos a Colônia do Sacramento no início da noite e tínhamos intenção de acampar próximo ao centro. Acabamos conhecendo outros overlanders brasileiros que estavam voltando de expedições a Ushuaia. Ambos os carros estavam equipados com barracas automotivas como a nossa e cada um havia feito percursos diferentes. No fim das contas ficamos hospedados em um hostel pois era tarde e foi mais prático do que procurar um camping. Saímos para jantar e acabamos recebendo informações valiosas para a continuação da nossa expedição. Foi divertido compartilhar as estórias e curiosidades de cada viajante. No dia seguinte nos encontramos para conhecer a cidade e combinamos um churrasco, assim acabamos ficando um dia a mais e compartilhamos momentos inesquecíveis com eles. Bruno e Mariana, Maurício e Rita, foi muito bom estarmos juntos em Colônia!!

Essa cidade tem um centro histórico bem preservado e com várias ruas com calçamento de pedra no mais autêntico estilo português. Nos fez lembrar de Paraty/RJ. No centrinho existem vários bares, restaurantes e lojas de souvenir. Tem muitos turistas e o clima é de tranquilidade. Dali parte o Buque Bus – a barco que cruza diariamente o Rio da Prata em direção a Buenos Aires. A capital argentina até pode ser avistada em dias claros. Nos despedimos de Colônia com um belo por do sol em companhia dos novos amigos brasileiros.

Nossa última cidade visitada no país foi Fray Bentos. Ali funcionou uma indústria de processamento de carne em larga escala, servindo inclusive para exportação de carne enlatada para alimentar combatentes na primeira guerra mundial. O complexo industrial foi reconhecido pela Unesco em 2015 como patrimônio cultural e no local funciona um museu. Boa parte da estrutura está preservada. Visitamos ainda o charmoso Balneário Las Cañas e tomamos banho no Rio Uruguai.

Vivemos um caso de amor com o Uruguai. Um país organizado e poético, de gente simples com um toque de sofisticação. Aqui parece que o tempo anda mais devagar, o costume de fazer pic nic nos parques em reuniões de amigos e famílias é comum, sempre acompanhado de um bom mate. Vimos muita gente de todas as idades fazendo algum tipo esporte ao ar livre. Conhecendo algumas pessoas, nos demos conta que prezam muito pela qualidade de vida. Há muito mais a se conhecer nesse pequeno lindo país. Esperamos voltar em breve!

=> Quer conhecer nosso roteiro completo no Uruguai? Clique aqui Veja nosso mapa http://bit.ly/VejaNossoMapa

Nossa primeira fronteira internacional

Forte de San Miguel


Forte de San Miguel


Playa La Moza


A entrada do povoado – Cabo Polônio









A Casa Pueblo, por do sol com poesia

A Casa Pueblo, por do sol com poesia

A Casa Pueblo, por do sol com poesia

Felipe, mais um amigo pelo caminho!

Os pescados do Porto em Punta del Este



Hotel Argentino em Piriápolis

Mercado del Puerto em Montevidéu

Tatro Solis

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on Pinterest

:: Deixe Seu Comentário ::