Galápagos Imperdível

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on Pinterest

Quando fizemos nosso roteiro não incluímos uma visita a Galápagos pois isso pesaria bastante em nosso orçamento. Ainda assim seguimos buscando formas de não impactar muito nas contas. Em vão. O destino não é dos mais baratos mas conversando com outros viajantes que visitaram o arquipélago, chegamos à conclusão que existem formas de economizar sem perder o essencial do lugar.

** Clique Para Ver Ampliado

•• Clique para Ver Ampliado

Queríamos muito contemplar sua natureza, história e cultura, assim resolvemos apertar o orçamento do restante da expedição. Separamos em duas mochilas o indispensável para dez dias de visita, guardamos o Valente num estacionamento e pronto, lá estávamos nós no aeroporto de Guayaquil. Começava mais uma jornada de muito aprendizado, com muitos lugares e paisagens de tirar o fôlego.

Galápagos é um arquipélago de origem vulcânica situado no Oceano Pacífico. Pertence ao Equador e está a cerca de 1.000 km da costa. Seu isolamento favoreceu o desenvolvimento de uma fauna única no planeta, que inspirou Charles Darwin em sua Teoria da Evolução por Seleção Natural, tida como a maior contribuição para entendimento da origem das espécies.

Para conservação desse lugar de relevada importância foram criados o Parque Nacional e a Reserva Marinha de Galápagos, além de ser declarado como Patrimônio Natural Humanidade pela Unesco desde 1978.

Foram criadas regras de visitação, iniciativa que somada a um intenso trabalho de conscientização junto à população e turistas trouxe resultados importantes.

As ilhas são limpas e seguras e o que mais no chamou a atenção foi que os animais convivem em equilíbrio em seu habitat e não se assustam com a presença humana.

A experiência de ver animais que só existem ali foi algo surreal. Por essa e outras razões podemos dizer de Galápagos é: I-M-P-E-R-D-Í-V-E-L!

Quer saber como foi nossa viagem para Galápagos? Então veja nossas dicas a seguir.

Sobre o Arquipélago

As principais ilhas são San Cristóbal (capital do arquipélago), Santa Cruz e Isabela.
Santa Cruz situa-se entre San Cristóbal e Isabela e tem o porto mais movimentado pois dali partem as lanchas para as demais ilhas.

As ilhas menores podem ser conhecidas em excursões e passeios comprados nas ilhas principais.

•• Clique no Mapa Para Ampliar

Atividades • O Que fazer em Galápagos?

O arquipélago oferece muitas opções como snorkeling, mergulho diurno e noturno (em alguns pontos é possível o encontro com animais marinhos (lobos marinhos, tartarugas, tubarões, arraias, entre outros), cursos de mergulho, caiaque, surf, trilhas próximas ao mar, montanha ou vulcões (alguns ativos), passeios em bicicleta, cavalgada, birdwatching, navegação pelas baías, cruzeiros, pesca em alto mar, praias (onde é possível ver iguanas marinhas, tartarugas e aves de diversas espécies), centros de criação de tartarugas gigantes, etc.

Quando ir á Galápagos?

O arquipélago é marcado por duas estações predominantes:
Garúa: junho a novembro, quando o mar está mais frio e a temperatura média é de 22°C. É comum a chuva fina (que dá o nome à estação – garoa). Nossa visita foi em julho e confirmamos isso, embora garoa mesmo aconteceu somente em um dia. Para friorentos como nós, o melhor é alugar roupa de neoprene para fazer snorkeling. Em compensação o comércio não fica saturado de gente e é mais fácil encontrar e negociar preço de hospedagem e passeios nesse período.

Caliente: dezembro a maio, com mais calor e chuvas, com temperatura média de 30°C. A água do mar fica com temperatura mais agradável devido a correntes marítimas do Panamá. Conversamos com moradores e nos disseram que é a época em que se aproveita melhor, embora fique mais movimentada e mais cara.

Obs.: Nas três ilhas existe a “parte alta” onde a temperatura normalmente é mais baixa. Dependendo da época é bom ter algum abrigo pois o clima muda com frequência.

Como Chegar

Os voos partem de Quito ou Guayaquil. As companhias aéreas que operam são Avianca, Latam e TAME. Os voos que vem do exterior fazem conexão em uma das duas cidades.

Antes de fazer o check-in é preciso passar por duas filas:

 

 

A primeira para pagar a Tarjeta de Controle de Trânsito (U$ 20) que deverá ser apresentada na chegada e na saída do arquipélago, portanto deve ser conservada até o final da viagem;

A segunda é para revisão da bagagem pelo serviço sanitário (Agência de Regulação e Controle da Biosegurança e Quarentena de Galápagos). Existem restrições de alguns tipos de produtos principalmente os de origem animal e vegetal. Para economizar um pouco levamos uma caixa com alguns itens como pacotes de bolacha, atum e feijão enlatado. A mesma foi aberta, revisada e lacrada em seguida. Este procedimento é repetido também nos portos do arquipélago quando em deslocamento entre as ilhas. Para saber a lista de produtos com restrições ou proibidos, acesse http://bioseguridadgalapagos.gob.ec/lista-de-productos-final.

••Clique Na Imagem Para Ve-la em Tamanho Real

••Clique Na Imagem Para Ve-la em Tamanho Real

 

As companhias aéreas pedem para chegar com duas horas de antecedência para o embarque, entretanto recomendamos até um pouco mais que isso devido ao trâmite acima, principalmente se for alta temporada.

Chegando a Galápagos você deverá apresentar seu RG ou passaporte e a Tarjeta de Controle de Trânsito, além de pagar a taxa do arquipélago de U$ 50 para países da Comunidade Andina e Mercosul. Cidadãos de outros países pagam U$ 100. Equatorianos pagam U$ 6. Menores de 12 anos pagam meia.

Foto-7-Aviao-pousando-en-Galapagos

Os aeroportos principais do arquipélago ficam em ilhas diferentes (Baltra/Santa Cruz e San Cristóbal), ambas com lugares interessantes para visitar. Vale a pena comprar a passagem para chegar em um aeroporto e o embarque para a volta ser em outro.

Essa dica vale para quem vai visitar as três ilhas principais. Caso a chegada e a volta seja pelo mesmo aeroporto, serão 4 travessias a U$ 30 cada uma. Chegando em um aeroporto e voltando por outro é possível fazer apenas 3 travessias, assim economiza um pouco sem perder nada por isso. Veja o mapa acima para melhor entendimento.

Optamos chegar em Baltra/Santa Cruz e embarcar na volta a partir de San Cristóbal pois o aeroporto fica pertinho do centro, enquanto que o aeroporto de Baltra fica a mais de 40 km do centro de Santa Cruz. Isso permitiu sair com mais tranquilidade do hotel e fomos caminhando até lá.

Outra informação importante é que o aeroporto/ilha de Baltra fica ao lado da ilha Santa Cruz, separadas por um pequeno canal (Itabaca), portanto o trajeto inclui dois trechos terrestres e uma navegação de 5 minutos.

 

Custo do transfer Aeroporto – Centro da ilha:

Aeroporto de Baltra a Santa Cruz: Do aeroporto até o canal de Itabaca o transporte é feito em ônibus da companhia aérea (free); travessia do canal de Itabaca: U$ 1; ônibus do cais até o centro de Santa Cruz: U$ 2 (os ônibus esperam os passageiros do voo atravessarem o canal) ou táxi para até 4 pessoas, de U$25 a 30.

Aeroporto de San Cristóbal ao centro da ilha: táxi, de U$ 2 a 4, dependendo da localização da hospedagem. O centro da ilha fica a cerca de 1km do aeroporto, portanto também é possível fazer o trajeto a pé.

Quanto Tempo Ficar

Existem muitas opções de passeios e o tempo deve ser definido de acordo com o interesse e ritmo de cada um. Ficamos 10 dias e cremos que foi suficiente para os passeios principais. Veja abaixo os passeios mais conhecidos para planejar sua estada.

Hospedagem em Galápagos

Fizemos algumas pesquisas via internet antes de viajar a Galápagos mas não reservamos nenhum hotel. Existem ofertas de hostel a hotéis requintados. Nos demos conta que havia muita disponibilidade, assim selecionamos duas ou três opções e ao chegar na ilha fomos visitar os locais, uma vez que todas estavam bem próximas uma da outra. Em baixa temporada fica mais fácil escolher e negociar valores.

Salvamos as pesquisas do Booking.com e ao visitar uma delas em Santa Cruz, o preço era maior que o anunciado, então apresentamos a pesquisa e nos hospedamos pelo preço que tínhamos visto. Caso vá ficar mais de 3 dias, vale negociar um desconto. Na alta temporada é recomendável reservar com antecedência.

Quer saber onde ficamos? Veja na tabela ao final deste post nossa avaliação e quanto pagamos.

 

Onde Comer

A maioria dos restaurantes fica no centrinho das três ilhas principais. Como é de se esperar, a gastronomia gira em torno de frutos do mar e cada restaurante tem o seu toque particular, mas há opções de carne bovina e frango, comida vegetariana, etc. Em Puerto Ayora vimos também um restaurante de cozinha italiana e outros que oferecem comidas regionais do Equador.

São servidos pratos à la carte, oferecidos a partir de U$ 10. O menu executivo ou simplesmente “almuerzo” custa a partir de U$ 5 (sopa de entrada, prato principal e refresco. Alguns restaurantes ainda oferecem uma sobremesa simples, normalmente uma fruta).

Em Santa Cruz existem vários restaurantes na Rua Charles Binford, onde encontramos as opções mais em conta e comida saborosa. Em Isabela estão concentrados próximos à pracinha central e em San Cristóbal estão mais espalhados pelo centro.

Outra opção para comer são os mercados municipais, que contam com pequenos restaurantes, quitandas e mini mercados para quem quer comprar ingredientes para preparar sua própria refeição.

 

Transporte no Arquipélago

• Nas Ilhas

Vários passeios podem ser feitos a pé a partir do centro de cada ilha. É uma maneira agradável para conhecer melhor como é a vida dos moradores, conhecer pessoas e curtir o lugar. Para quem quer ir direto aos pontos de interesse, a opção principal é o táxi. Em deslocamentos curtos próximos ao centro, custa de U$ 2 a 5. Para os passeios mais distantes, entre U$ 20 e 40 (ou até mais), dependendo da distância e temporada. Dicas: procurar outros turistas que vão fazer os passeios mais distantes para compartilhar a corrida e diminuir o custo (conversar na recepção do hotel, podem ajudar a encontrar gente para isso); combinar com o taxista os lugares que vão visitar e o tempo estimado de espera. Vale negociar o valor também!

• Entre as Ilhas

Para deslocamento entre as ilhas principais existem lanchas que fazem a travessia. Demora em torno de 2 horas entre cada uma delas e o valor é tabelado: U$ 30 por trecho. Dicas e observações:

– comprar com antecipação, principalmente se for em alta temporada; como o valor é tabelado, comprar nas agências maiores. (Visitamos o arquipélago no final da baixa temporada e no embarque de Santa Cruz a San Cristóbal vimos uma senhora que não pode atravessar pois sua embarcação não sairia, possivelmente por baixa lotação. Precisou recorrer ao pessoal da capitania e por sorte conseguiu ir em uma lancha de outra empresa com o mesmo voucher)

– em Santa Cruz e Isabela as lanchas não atracam no píer. Para chegar até elas toma-se um pequeno barquinho que faz o traslado. O embarque é controlado pelo pessoal da capitania. Leve algum trocado (custa entre U$ 0,50 e 1)

– chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência para o embarque, uma vez que é feita revista nas bagagens devido a restrições de alguns produtos de origem animal e vegetal conforme explicado acima

– Não é possível fazer a travessia em lancha entre Isabela a San Cristóbal. É necessário ir até Santa Cruz e comprar o ticket para o próximo trecho.

Horários de Travessia:

Santa Cruz a Isabela: 07:30 e 14:30 (ida); 06:00 e 14:00 (volta);

Santa Cruz a San Cristóbal: 07:00 e 14:00h (ida); 07:00 e 15:00 (volta)

Obs.: horários sujeitos a alteração. Consultar vigência quando chegar ao arquipélago.

Outra opção para ir de uma ilha a outra é cruzar em pequenos aviões da empresa Emetebe (www.emetebe.com.ec). Há um voo por dia (ida e volta) que faz o trajeto San Cristóbal – Isabela – Baltra saindo às 07:15h e a volta às 12:30h, no trajeto Baltra – Isabela – San Cristóbal. O tempo de voo entre Baltra e Isabela é de ‘40 e de Isabela a Santa Cruz é de ’30.

As passagens custam U$ 110 de San Cristóbal a Baltra (com escala em Isabela); U$ 120 de San Cristóbal a Isabela, se comprados no balcão da empresa ou U$ 180 e U$ 190 se comprados por internet. Caso queira ir de avião, a dica é fazer a reserva assim que chegar no arquipélago (máximo de 9 passageiros). As passagens compradas com cartão de crédito tem taxa adicional de 12%.

Passeios: Aproveitando o Melhor do Arquipélago Com um Pouco de Economia

Aproveitando Galápagos com Pouco Dinheiro

Existem muitas opções de passeios, para todos os gostos e bolsos. Nossa proposta foi fazer a maioria por conta própria, exceto os que necessitam navegação ou transporte. As agências também oferecem os passeios e fazer pacotes pode trazer alguma economia.

Ilha Santa Cruz

Essa é a ilha mais movimentada do arquipélago, embora não seja a capital. Por estar centraliza entre Isabela e San Cristóbal, é passagem obrigatória para quem se desloca de lancha entre essas ilhas principais, motivo pelo qual Puerto Ayora é o mais movimentado de Galápagos.

As ruas do centrinho são cheias de agências de turismo, restaurantes, pequenos mercados e lojinhas de souvenir, além de bancos com caixas eletrônicos. Existem também o Mercado Central onde é possível encontrar maior variedade de frutas e verduras a um preço mais econômico.

 

Passeios principais em Galápagos:

Gemelos, El Chato e Túneles de Lava – Segunda a domingo, das 06 às 18h.

Os “Gemelos” são duas grandes depressões circulares, resultado de uma série de erupções vulcânicas, onde é possível ver os pinzones de Galápagos e o pássaro brujo.

A pouca distância fica “El Chato”, uma reserva ecológica particular onde vivem tartarugas gigantes. Esse é um dos principais lugares onde é possível ficar pertinho dessas criaturas. Elas ficam soltas em um grande bosque com muitas goiabeiras e outras árvores nativas da ilha. Esse é um lugar imperdível. No mesmo lugar estão os túneis de lava, onde é possível fazer uma caminhada sem grande esforço pois dentro do túnel maior é praticamente plano, iluminado e seco. Imaginar como isso se formou é bem interessante.

A visita a El Chato é auto guiada e a entrada custa U$ 5 por pessoa, com direito a um cafezinho de boas-vindas.

Esse é um passeio que pode ser feito logo no primeiro dia pois fica entre o aeroporto de Baltra e o centro da ilha Santa Cruz. Nesse caso você deve combinar com o taxista essas paradas no meio do caminho. Custa entre U$ 30 e 40, mas tem a opção de compartilhar com outros passageiros caso encontre interessados.

Para quem está no centro da Ilha Santa Cruz a opção é o táxi, de U$ 25 a 35 podendo fazer o mesmo esquema de compartilhar com outros passageiros ou então tomar um ônibus ou táxi regular até o bairro Santa Rosa (U$ 1 por pessoa) e dali caminhar cerca de 3km até El Chato. Nessa segunda opção, para chegar aos Gemelos tomaria mais tempo pois fica na dependência de aparecer algum táxi regular.

 

Tortuga Bay e Praia Mansa – Segunda a domingo, das 06 às 17h

  
  

Nesse passeio conhecemos a Praia Brava (linda paisagem e praia com um pouco de correnteza – observar sinalização!). A praia é lugar de desova de tartarugas marinhas e aí também podemos ver muitas iguanas marinhas, elas ficam espreguiçadas na areia, nas rochas e não estão nem aí para as pessoas que passam ou param para ficar tirando fotos.

Em seguida está a Praia Mansa, de águas tranquilas e boa para nadar, fazer snorkel ou tomar sol. Tem muitas árvores, banquinhos e suportes para pendurar os pertences. Na praia é possível ver vários peixes e com um pouco de “sorte”, encontrar tubarões (tintoreras), tartarugas e arraias.

Passeio que pode ser feito a pé a partir do centrinho da ilha. É necessário registrar a entrada no posto de controle no começo da trilha (gratuito). Na verdade o caminho é todo calçado e com um sobe-e-desce interminável. São cerca de 3km (+- 40 minutos) até a Praia Mansa mas a paisagem é interessante.

Muitos cactos e vegetação abundante sobre um solo predominantemente rochoso, além da bela paisagem do mar a partir da Praia Brava.

É possível chegar até a Praia Mansa em lancha (excursões pela baía e Tortuga Bay).

 

Las Grietas – Segunda a domingo, das 06 às 18h

   
 

Formação rochosa que lembra um cânion em dimensão menor onde a água doce das chuvas que descem da parte alta mistura-se com a água do mar, formando piscinas com profundidades entre 2 e 8 metros. A transparência da água é impressionante e é possível ver alguns peixes coloridos se alimentando. Além disso tem uma trilha de cerca de 400 metros no alto de uma das bordas das grietas, com três mirantes onde é possível contemplar essa bela paisagem de Galápagos.

A entrada é gratuita e para aproveitar melhor é indispensável o snorkel e se você não sabe nadar, alugue um colete-salva vidas. Para chegar lá, pegue um táxi-lancha no píer de Santa Cruz (Puerto Ayora). Custa U$ 0,80 por pessoa e é uma travessia rápida, 5 minutos no máximo. A partir do píer do outro lado, pegue o caminho indicado, você vai passar por algumas áreas de ninhos de iguanas marinhas, pela Praia do Alemão, que é pequena e agradável para um mergulho e também por uma pequena salineira onde os locais represam água do mar para obtenção de sal. A distância do píer até Las Grietas é de 1.300m.

 

Estação Charles Darwin – Segunda a domingo, das 06 às 18h

 
 

A partir do centro de Santa Cruz, fica a cerca de 1.500m. A caminhada é agradável, principalmente se for pela orla. No caminho existem vários restaurantes, lojas de souvenir, roupas e também um entreposto de pesca onde lobos marinhos, pelicanos e garças morenas ficam à espreita de alguma sobra de peixe, sempre ao lado das pessoas e sem a menor preocupação.

Chegando à estação é feito o registro de visitantes (entrada gratuita). No caminho existem muitos cactos próprios do arquipélago e algumas áreas cobertas com exposições fotográficas e informativos da fauna, flora e história do arquipélago, principalmente voltado para o trabalho realizado por Charles Darwin ali.

Alguns metros adiante entramos nos cativeiros das tartarugas gigantes. Aí elas ficam em espaço confinado, então podemos observá-las a partir das muretas. Adiante estão alguns cativeiros de filhotes de tartarugas de diferentes ilhas de Galápagos, onde são mantidas até 2 ou 3 anos de idade, quando são liberadas no seu habitat natural. Em outro espaço existem iguanas marinhas e mais tartarugas. A visita termina num edifício onde está exposto o esqueleto de uma baleia e os trabalhos científicos realizados por Charles Darwin após sua passagem pelo arquipélago. Nota: Você pode levar seu passaporte e carimbar, para registrar sua passagem ali.

Antes de ir embora, fomos visitar a Praia da Estação, pequena e com uma bela vista para a baía onde fica Puerto Ayora. Ali vimos iguanas marinhas ao sol e aproveitamos para tirar várias fotos.

 

Las Ninfas – Segunda a domingo, das 06 às 17h

 
 

Bem pertinho do centro está essa laguna de águas verdes e transparentes, ideal para curtir um final de tarde. Com um deck e um caminho interpretativo, chegamos a uma parede rochosa e um mangue de duas espécies diferentes. Com sorte dá para ver tartarugas nadando por ali. Uma boa é passar antes na sorveteria da esquina da Av. Baltra x R. Charles Binford (GPS -0.74605, -90.31477) e comprar uma casquinha. Tem de vários sabores a 1 dólar. A entrada em Las Ninfas é gratuita.

Outras opções principais:

El Garrapatero: praia de guas turquesa, possui uma lagoa próxima onde é possível avistar flamingos, patinhos de pescoço preto, pinzones de galápagos e outras aves migratórias. Fica a 22 km do centro e pode ser visitada todos os dias, das 06 às 18h

Seymor Norte: ilha formada pelo levantamento de lava vulcânica submarina, e fósseis marinhos podem ser encontrados no local, além de iguanas amarelas, piqueros de patas azuis, fragatas real e outros. Barcos fazem tour para mergulho e snorkel. Sobrevoamos esse lugar quando aterrissamos em Baltra.

Pinzón: uma das reservas científicas do arquipélago, nessa ilha não é permitida a visitação mas é referência de tour para pesca vivencial e snorkel em alguns pontos de sua costa. Durante o trajeto há uma parada na Ilha Daphne Mayor e a pequenas ilhas, um dos melhores lugares para se ver as fragatas reais com seus peitos vermelhos estufados, além de piqueros de patas azules, pinzones, tubarões, lobos, tartarugas e iguanas marinhas.

Ilha Isabela

Isabela é a maior ilha do arquipélago. Entre as três principais é a que conserva um ambiente mais rústico, embora ofereça praticamente todas as comodidades das demais. Puerto Villamil tem um pequeno atracadouro e algumas obras de ampliação. A travessia de Santa Cruz até lá foi tranquila, o mar estava com pouca ondulação e chegamos em menos de duas horas.

Logo no desembarque vimos vários lobos, iguanas e tartarugas marinhas, que por ali permanecem tranquilamente. Do cais até o centrinho são 800 metros em uma avenida pavimentada, o que facilita ir caminhando e sentindo o ambiente. É possível ir em táxi também. Como fomos na baixa temporada, foi fácil encontrar hospedagem e negociar preços.

Passeios principais:

 

Concha y Perla – Segunda a domingo, das 06 às 18h

 

Piscina natural formada com a alta da maré, é o ponto de snorkel mais procurado da ilha, onde ficam vários lobos e tartarugas marinhas. O local fica próximo ao cais de Puerto Villamil e pode ser acessado por uma passarela de madeira até um pequeno deck.

A água é transparente e estava fria nos dias que a visitamos. Vimos vários lobos marinhos, peixes coloridos e tartarugas marinhas se alimentando tranquilamente. Como o lugar é abrigado, não havia correnteza, o que permitiu bastante visibilidade quando fizemos snorkeling. Passeio gratuito.

 

Centro de Criação de Tartarugas Gigantes “Arnaldo Tupiza Chamaidan” – Segunda a domingo, das 06 às 18h

 

Perto do centro, pode ser visitado em tour comprado em agência ou caminhando (3,5 km ida e volta, plano). No local vimos tartarugas adultas e muitas áreas com centenas de filhotes em fase de crescimento. Há uma sala com diversas informações e curiosidades sobre esses animais e as ações desenvolvidas para conservação da espécie.

 

Fomos caminhando do centro até lá, primeiro pela avenida principal e tomamos um caminho por passarelas construídas sobre pequenas lagoas repletas de flamingos e outros pássaros, além de iguanas marinhas.

Curtimos muito o colorido dos flamingos e ficamos um bom tempo contemplando e tirando fotos.

 

Muro de las Lágrimas – Segunda a domingo, das 06 às 18h

 

A cerca de 6 km do centro, pode ser visitado a pé ou alugando bicicletas no centrinho da ilha. O lugar marca uma triste história de Galápagos. Entre 1946 e 1959 funcionou ali uma colônia penal de presos políticos e delinquentes sob regime arbitrário que levou muitos deles à morte. Essa inútil construção foi conservada como uma lembrança do sofrimento dos que foram forçados a erguê-lo em um momento histórico do Equador.

A 500 metros morro acima está o Mirante do Radar, local usado pelas Forças Armadas dos EUA. Na época da colônia penal foi desmontado. Nesse ponto há uma vista muito bonita da ilha e do oceano.

 

A parte que mais gostamos nesse passeio foi o caminho até lá, passando por praias e pequenas lagoas, aqui chamadas de “pozas” ou “humedales”. No curto desvio a “La Playta” topamos com dezenas de iguanas marinhas tomando sol bem no meio do nosso caminho. Não precisa nem pedir licença, é só passar com cuidado para não pisá-las. Mais adiante estão “Los Tunos”, lugar que concentra vários cactos altos, típicos da ilha.

 

Na Playa del Amor demos de cara com uma simpática família de piqueros de patas azules. Ficamos ali um pouco observando e curtindo o mar chocar-se contra as rochas. Bem ao lado está o Túnel del Estero, formação de lava vulcânica muito interessante. Dali seguimos o Camino de las Tortugas, paralelo ao mar. As tartarugas vivem livremente nessa parte da ilha e encontramos algumas delas se alimentando de arbustos ao longo do caminho.

 

A 1km antes de chegar ao Muro de las Lágrimas está o Mirante Cerro Orchilla, que tem uma bela paisagem dessa parte da ilha.

 

Los Túneles

Este slideshow necessita de JavaScript.

Esse é um dos principais passeios na ilha. Partindo em lancha de Puerto Villamil, visita-se rapidamente um “pontão”, rochedo com cerca de 10 m que é o cume de uma montanha submersa.

Após mais 20 minutos de navegação, entramos numa baía relativamente abrigada, onde descemos para um snorkeling. A profundidade é de 2 a 3 metros e ali tivemos uma das experiências mais marcantes da viagem a Galápagos, ao nadar com arraias, tartarugas marinhas imensas e mais, chegar pertinho de um grupo de tubarões da espécie tintorera. Esses animais tem hábitos noturnos e de dia ficam abrigados em tocas. De início assusta, mas o guia nos passa segurança para aproximar um pouco. Segundo nos explicou, aqui não existe registro de ataques de tubarão principalmente pelo fato de que existe farta alimentação.

Seguimos mais alguns minutos em mar aberto e chegamos a Los Túneles. O mar estava um pouco revolto e o capitão mostrou habilidade para atravessar a arrebentação. Navegando por estreitos canais rochosos, atracamos num ponto improvisado, de onde fizemos uma curta caminhada enquanto o guia nos explicava a formação geológica do lugar, de origem vulcânica. Diferentes composições do magma, temperatura e momentos de formação deram origem a esses túneis, arcos e piscinas de água do mar. A paisagem é muito surreal, diferente de tudo o que já tínhamos visto. Avistamos várias tartarugas e lobos marinhos, muitos cactos e ninhos de piqueros de patas azules. Havia um filhote ainda com suas plumas branquinhas, sob vigilância e cuidados da mãe.

Esse passeio dura 3 horas e inclui a roupa de neoprene, nadadeiras, snorkel, um sanduíche e refresco e é oferecido a U$ 120 mas normalmente vendem por U$ 110. Para quem vai passar alguns dias, uma dica é ir cedo em Puerto Villamil, ver as lanchas que estão saindo para o passeio e negociar vaga de última hora. Nos ofereceram o mesmo passeio por U$ 100. Tentar isso logo nos primeiros dias pois não é certeza conseguir.

 

Outras opções principais:

Tintoreras: navegando a partir do Puerto Villamil, chega-se as essas pequenas ilhas onde é feita uma caminhada até canais onde se vê tubarões da espécie tintoreiras, grandes tartarugas marinhas, uma infinidade de peixes coloridos e iguanas marinhas. Em outra área próxima pode ser feito snorkeling. A navegação pode ser feita em barco ou então com caiaques. O passeio tem algumas características comuns ao tour a Los Túneles e é um pouco mais em conta, portanto se pode optar por um deles, embora a Los Tuneles seja mais completo.

Vulcão Sierra Negra: tour em veículo até o começo de uma trilha com cerca de 15km. No primeiro trecho caminha-se entre vegetação e depois por um trecho pedregoso e com cactos. A paisagem para a cratera do vulcão, com cerca de 10km de diâmetro é uma das mais impressionantes do arquipélago. Há opção de fazer a trilha a cavalo.

Ilha San Cristóbal

Capital do arquipélago, conta com várias opções de hospedagem e os serviços principais como banco, restaurantes, mercadinhos, farmácias e centro médico. O aeroporto está a 800 metros do centro e a maioria dos passeios pode ser feita a pé. A travessia a partir de Santa Cruz foi tranquila, durou duas horas e no desembarque vimos vários lobos marinhos nadando por ali. Passeios principais:

 

Playa Man e Centro de Interpretación Ambiental Gianni Arismendy – Segunda a domingo, das 08 às 18h

Este slideshow necessita de JavaScript.

Essa pequena praia fica a 1 km do centro, passando pela Playa de Oro. Ambas as praias são repletas de lobos marinhos. Em Playa Man o espaço é compartilhado com banhistas e turistas que ficam horas ali tomando sol, nadando ou observando o comportamento desses animais. Na areia esses bichinhos são um tanto desengonçados mas na água são muito ágeis e se aproximam dos banhistas pois são muito curiosos. Uma experiência muito bacana!

A uns 400 m adiante fica o Centro de Interpretación Ambiental onde conhecemos melhor a história do arquipélago, desde os primeiros navegantes a passar por lá, os primeiros habitantes, o processo de formação geológica, fauna e flora, desafios sociais, ambientais, entre outros dados muito interessantes que enriqueceram nosso conhecimento sobre o lugar. A entrada é gratuita.

 

Las Tijeretas e Playa Baquerizo – Segunda a domingo, das 06 às 18h

Este slideshow necessita de JavaScript.

Seguindo pela mesma passarela do Centro de Interpretación Ambiental, a 900 metros fica Tijeretas, uma pequena baía com linda paisagem, onde fizemos snorkel para ver lobos marinhos. A água é transparente e a visibilidade é boa. De vez em quando esses bichinhos se aproximam, rodeiam e saem para outro lado. Também vimos iguanas marinhas e até um polvo num dos rochedos submersos.

Do Centro de Interpretación Ambiental até Tijeretas existe uma bifurcação. Ambos os caminhos conduzem ao mesmo lugar, sendo que a bifurcação à esquerda permite passar Playa Punta Carola, a uns 300 metros. É uma prainha mais selvagem com vários lobos marinos e um farol abandonado. Retornando uns 100 metros pelo mesmo caminho, nova bifurcação à esquerda até Tijeretas, passando por alguns mirantes – em um deles há uma estátua de Charles Darwin.

Após Tijeretas há opção de seguir até a Praia Baquerizo. São mais dois quilômetros de trilha até chegar nessa prainha selvagem com vista para o mar aberto e a ilha León Dormido. Logo no início dessa trilha está o melhor mirante para Tijeretas.

A propósito, a baía tem esse nome Tijeretas (tesourinhas em espanhol) devido ao formato das penas do rabo dos albatrozes que vivem aí. Durante o voo ficam estendidas no formato de tesouras.

 

La Lobería – Segunda a domingo, das 07:30 às 18h

Este slideshow necessita de JavaScript.

A cerca de 3 km do centrinho da ilha, o acesso a essa praia é controlado por guarda parques, com entrada gratuita. É possível fazer snorkeling para ver lobos marinhos numa área abrigada do mar aberto. No dia que visitamos não havia tantos deles mas a paisagem compensou a ida. Voltada para o mar aberto, ficamos contemplando grandes ondas batendo contra as rochas. Seguindo 1km adiante por uma trilha rochosa e cheia de iguanas marinhas, chegamos a um penhasco onde diversas espécies fazem seus ninhos. Bela paisagem.

O acesso à Lobería pode ser a pé ou em táxi, que custa U$ 4 de ida e volta.

 

Outras opções principais:

El Junco, La Galapaguera e Playa Puerto Chino: passeio que pode ser feito de táxi em meio dia. Pode ser feito combinado com visita a La Lobería. El Junco está na parte alta da ilha. Trata-se de um vulcão inativo com uma laguna ao meio. No caminho até a Playa Puerto Chino, visitar La Galapaguera, onde há tartarugas gigantes.

León Dormido ou Kicker Rock: ilha rochosa, ideal para snorkeling e ver tubarões martelo, arraias, tartarugas marinhas e uma infinidade de peixes de várias cores. Um dos passeios mais famosos de San Cristóbal.

Quanto Custou

 

Item Observações – Valores por Pessoa U$
Passagem aérea
…………………………….
Valor incluindo as taxas e impostos, ida e volta – Guayaquil – Baltra / San Cristóbal – Guayaquil. Viajamos pela Avianca, a opção mais econômica para os dias da nossa viagem. 20.00

…………………………….

Tarjeta de Controle de Trânsito Obrigatória. Crianças também pagam. 20.00
Taxa de entrada – Parque Nacional de Galápagos Obrigatória, U$ 50 para países do Mercosul e Comunidade Andina; para cidadãos dos demais países custa U$ 100. Equatorianos pagam U$ 6 e menores de 12 anos tem 50% de desconto 50.00 ou 100.00
Taxa de entrada Ilha Isabela Obrigatória. Crianças até 12 anos tem 50% de desconto 10.00
Transfer em lancha Santa Cruz – Isabela | Santa Cruz – San Cristóbal e vice versa. Não há travessia direta,de San Cristóbal a Isabela e vice versa. Valor tabelado, por trecho. Dica: comprar nas agências maiores 30.00
Transfer em avioneta Ver informação acima 110.00 a 190.00
Transfer em embarcações pequenas Canal de Itabaca (Ilha Balta a Ilha Santa Cruz) U$ 1
Puerto Ayora (Santa Cruz) até as lanchas que vão a Isabela e San Cristóbal: U$ 0,50
Puerto Ayora (Santa Cruz) até as lanchas que vão a Isabela e San Cristóbal: U$ 0,50
Puerto Villamil (Isabela) até a lancha que vai a Santa Cruz: U$ 1
Puerto Baquerizo Moreno (San Cristóbal): não há custo, lancha atraca diretamente no píer.
vide ao lado
Transfer Canal de Itabaca ao Centro de Santa Cruz Em ônibus: U$ 2;
Em táxi (ida ou volta, para até 4 pessoas): U$ 25 a 30 (conveniente se quiser aproveitar para fazer os primeiros passeios na ilha, que ficam na parte alta da ilha e antes de chegar ao centro, assim se economiza um pouco de tempo e dinheiro. Nesse caso o valor aumenta,um pouco e deve ser negociado com o taxista).
2.00 a 30.00
Táxi San Cristóbal (aeroporto ao centro, vice versa): U$ 2 a 4, dependendo do local onde estiver hospedado

Santa Cruz e San Cristóbal (região central – U$ 2 a 5)

vide ao lado
Hospedagem (2 pessoas / matrimonial) Santa Cruz: Hotel Carliza – Av. Baltra x R Charles Binford, a 50 m da rua dos restaurantes e 300m de Puerto Ayora. Quarto privativo com TV, ventilador, banho quente e internet, sem café da manhã. Água quente disponível na recepção. Assim preparamos nosso café. No andar superior tem uma cozinha que pode ser usada pelos hóspedes. U$ 30 / noite.GPS -0.746273, -90.314711

Isabela: Hostal Brisas del Mar. Av Gaviotin x Conocarpus, a 600m de Puerto Villamil. Quarto privativo com ventilador, banho quente e internet, sem café da manhã. Água quente na recepção. Proprietários oferecem a cozinha para uso. Na área comum tem redes para os hóspedes. U$ 30/noite (preço regular é de U$ 40). GPS -0.956958, -90.964456

San Cristóbal: Hostal San Francisco. A 200m de Puerto Baquerizo Moreno. Quarto privativo com ventiladores, banho quente e internet, sem café da manhã. Pudemos usar a cozinha para preparar nosso café. Área comum do térreo com Tv e no segundo andar tem um salão com vista para o mar. GPS -0.90176, -89.61171

Que tal usar um GPS pelo celular? Usamos bastante o Maps.me (funciona of line) ou o Google Maps (você deve baixar o mapa da região para não ficar dependendo de conexão/internet).

25.00 a 30.00
Tour a Los Túneles Ver observação acima 100 a 120.00
Locação de acessórios para snorkel Roupa de neoprene: U$ 5 (curta) e U$ 10 (macacão) vide ao lado
Snorkel + máscara: U$ 5
Nadadeiras: U$ 3

Outros bichinhos que vimos

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Mapa de nossa visita em Galápagos

Veja no mapa abaixo os lugares que visitamos em Galápagos, e com fotos! Aplique zoom se necessário.

https://drive.google.com/open?id=1KAJao5qfea1smRfKRb7P-Qi51i4&usp=sharing

Clique no botão abaixo e faça o download do mapa e importe para um aplicativo de GPS (como Maps.me ou Google Maps):

Nossos vídeos de Galápagos

Assista nossos vídeos de Galápagos:

 

 


 

 

 


 

 

 


 

 

Outras fotos do Arquipélago de Galápagos

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 


Colaboraram para este post nossos amigos Cristiano e Natany, Overlanders que estão dando uma volta ao mundo e também visitaram o arquipélago. Conheçam em www.andradespelomundo.com.br

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on Pinterest

:: Deixe Seu Comentário ::